UMA VIAGEM PELA NOSSA SALA

UMA VIAGEM PELA NOSSA SALA

domingo, 20 de dezembro de 2015

TPC das férias de Natal


Olá visitantes!

Para estas férias de natal foi-nos proposto escolher um tema à nossa escolha que gostássemos de partilhar no nosso blog.

Sendo assim, apresentamos o trabalho do Miguel:





D. Afonso Henriques

D. Afonso Henriques nasceu 6 de dezembro de 1109 e foi o primeiro rei de Portugal, filho 

de D. Henrique de Borgonha e de D. Teresa de Leão.

Após a morte do seu pai em 1112, Afonso tomou uma posição política oposta à de sua 

mãe, que se aliou ao nobre galego Fernão Peres de Trava. 

D. Afonso Henriques pretendeu assegurar o domínio do condado e lutou contra o exército

 da sua própria mãe na Batalha de S. Mamede em 1128, saindo vitorioso.

O Castelo de Guimarães localiza-se na freguesia de Oliveira do Castelo, cidade e 
concelho de Guimarães, no distrito de Braga, em Portugal.

Em posição dominante, sobranceiro ao Campo de São Mamede, este monumento 
encontra-se ligado à fundação do Condado Portucalense às lutas da independência de 
Portugal, sendo designado popularmente como berço da nacionalidade.





MIGUEL

Pinhel

Pinhel é a cidade onde nasceu a minha mãe. Pinhel, também conhecida como 

cidade Falcão, é uma cidade portuguesa situada no distrito da Guarda. O concelho 

de Pinhel encontra-se entre 350 a 600 metros de altura em relação ao nível do mar 

é banhado pelo rio Côa, pelo rio Massueime, para além da ribeira das Cabras e da 

ribeira da Pega.


Pinhel é uma cidade que possui: Pelourinho, castelo, cooperativa, etc.

O nome "Pinhel" deriva da grande quantidade de pinheiros existentes nessa zona.


Esta cidade faz fronteira com Espanha,  com Bragança, Coimbra, Castelo Branco e Viseu.


 Largo da Igreja de Pinhel


Castelo de Pinhel


RODRIGO CRUZ







Portugal vem de Portus Cale nome que os romanos deram à antiga cidade do Porto.

A invasão muçulmana da Península Ibérica encontrou resistências.

No norte da Península Ibérica, na região das Astúrias, um grupo de cristãos opôs-se ao 

domínio muçulmano.

No ano 722, os cristãos venceram a Batalha de Covadonga e iniciaram o processo da 

Reconquista Cristã, no decorrer da qual se formaram vários reinos, entre os quais, o Reino 

de Portugal. Entre avanços e recuos, entre derrotas e vitórias, várias personalidades e 

acontecimentos históricos se destacaram.

Conquistar, defender, povoar e administrar foram ações determinantes para D. Afonso 

Henriques ter sido reconhecido em 1143 como Rei de Portugal.

O reconhecimento da autonomia do Reino de Portugal aconteceu na cidade de Zamora 

onde D. Afonso Henriques e Afonso VII de Leão e Castela assinaram o Tratado que 

reconhecia Portugal como Reino e D. Afonso Henriques como 1º Rei de 

Portugal.                                                                            

Figura 1: Friso cronológico



1096
1109
1128


1139
1143


Doação do
Nasce
Batalha S. Mamede
Batalha de Ourique
Conferência de Zamora


condado Portucalense
D. Afonso
Vitória de D. Afonso
Vitória de D. Afonso Henriques
Reconhecida a autonomia


a D. Henrique
Henriques
  Henriques sobre as
sobre os Mouros. Passou a
do Reino de Portugal


tropas da mãe (D. Teresa)
intitular-se rei de Portugal.









































Em 1249, os Portugueses conquistaram o Algarve aos Muçulmanos e fixaram o limite sul 
do reino.

Pelo Tratado de Alcanises, em 1297, e já no reinado de D. Dinis, estabeleceram-se as 

fronteiras entre Portugal e Castela, que se mantêm praticamente inalteradas até aos 

nossos dias.

GUILHERME





Batalha de Aljubarrota




A Batalha de Aljubarrota decorreu na crise de 1383-1385, mais propriamente na tarde de 14 de agosto de 1385, entre as tropas Portuguesas (comandadas por D. João I de Portugal) e as Castelhanas (comandadas por D. João I de Castela).
A batalha decorreu no campo S. Jorge, na freguesia de Calvaria de Cima, no conselho de Porto de Mós, perto da vila de Aljubarrota entre o conselho de Alcobaça.
D. João I de Portugal teve a ajuda de D. Nuno Álvares Pereira que utilizou a tática do quadrado.
Esta tática militar foi o segredo de D. Nuno Álvares Pereira para derrotar os castelhanos.
D. Nuno aproveitou pequenas elevações do terreno, onde colocou arqueiros e besteiros. Mandou cavar fossos (chamados covas-de-lobos) disfarçados com folhas, para que os castelhanos lá caíssem.




Dispôs as suas forças em três alas, a maior ficava de reserva à retaguarda, comandada por D. João Mestre de Avis, à frente uma grande linha de soldados comandada por D. Nuno, enfrentava os castelhanos dando-lhe a sensação de estarem em vantagem. A ala esquerda, conhecida como a ala dos namorados, enfrentou bravamente os Castelhanos, e a ala da direita, conhecida por ala da madressilva, fazia chover flechas sobre o exército inimigo, enquanto a primeira lutava.
Os Castelhanos ao ver que a batalha estava perdida fugiram a pé, ou a cavalo, por estradas e matos, desfazendo-se das armas e disfarçando-se. Desamparados na fuga e reconhecidos como inimigos, eram abatidos ou aprisionados pelos homens das aldeias e vilas em redor.
Celebrizou-se assim, a heroína Brites de Almeida, mais conhecida como Padeira de Aljubarrota. Conta a história que com a sua pá terá morto sete castelhanos que se encontravam escondidos no seu forno.





O resultado desta batalha foi a vitória dos portugueses frente a um exército de castelhanos, muito superior tanto em número como em armas.
Foi assim que consistiu a Batalha de Aljubarrota, a qual foi um marco muito importante na nossa história, porque evitou que Portugal ficasse em reinado de Castela e perdesse a independência.

                                                                                                                                            
                                                                                                                                             Tomás 



Ilha de São Miguel:

São Miguel é uma ilha montanhosa com uma vegetação muito rica e sendo por isso também conhecida como a “Ilha Verde”. São Miguel é a maior ilha do arquipélago dos Açores e a maior de todas as ilhas do território de Portugal. Com uma superfície de 746,82 km² e tem uma população de 131 609 habitantes. Ao natural ou habitante da ilha denomina-se micaelense.





É composta pelos concelhos de Lagoa, Nordeste, Ponta Delgada, Povoação, Ribeira Grande e Vila Franca do Campo.
Eu já estive em Ponta Delgada e gostei muito de visitar as portas da cidade, estas portas são o símbolo da primitiva e defesa terrestre da cidade, foram construídas em 1783.
Mas podemos visitar mais sítios como Ribeira Grande, Fumarolas das Furnas, Parque Terra Nostra, Cozido das Furnas, entre outros lugares que podemos visitar.
  

                                                                                                    Daniel




Maus Tratos e Abandono dos Animais

Antes de adotar um animal deve estar consciente se tem ou não condições para o ter. Se tem condições financeiras e casa para manter a vida do animal estável.
Ter um animal não é simplesmente alimentá-lo! É leva-lo a passear, é dar-lhe atenção, é levá-lo ao veterinário (quem tem animais sabe perfeitamente o quanto pode ser dispendioso) e tem de o aceitar como mais um elemento da família e não lhe dar desprezo.






O primeiro motivo de abandono de animais é as férias, mas que poderia ser evitado uma vez que existem locais que ficam com os animais para os donos irem de férias.

O segundo motivo é quando a dona fica grávida e surgem incertezas pouco esclarecidas e infundadas por parte de outras pessoas sobre a possibilidade do animal transmitir doenças que podem afetar o bebé. Na realidade basta ter os animais desparasitados e vacinados.

O terceiro grande motivo são os caçadores, que utilizam os cães na época da caça e depois os abandonam friamente nas matas, esquecendo-se logo destes que ficam à fome, ao frio e à chuva.





Outros motivos são ainda a vaidade, porque quando compram um cão de raça abandonam o pobre rafeiro que os acompanhou até então, para se poderem exibir junto dos amigos e conhecidos, esquecendo porem que o rafeiro é o cão mais sensível e mais inteligente e que por isso sofre mais o abandono.




Ao adotares um destes animais estás-lhe a oferecer o conforto e a segurança que ele nunca poderá ter sem um dono. Podes estar também a permitir que o outro animal seja recolhido da rua.

São animais que já sofreram ao serem brutalmente afastados do seu dono e que conheceram o conforto de um lar e o calor humano. Estes animais esperam-te de corações abertos.





Mariana Sousa




O meu Natal em casa

O meu Natal em casa, foi muito divertido recebi muitas prendas e passamos o Natal em família. Neste Natal não houve Pai Natal.
A minha árvore este ano estava recheada de presentes para toda a minha família.
Eu recebi um spa, o jogo do tic tac boum junior, uma maquilhagem em forma de uma fatia de bolo de morango, um pijama em forma de um coelho e 3 peças de roupa e collants. Até fizemos karaoke foi muito divertido.  
E brincámos até às 3 h da manhã.

INÊS ALMEIDA










Os  Gatos
  
  Os gatos (nome científico Felis catus ou Felis silvestris catus) são os animais de estimação mais populares de todo o mundo, com mais de 600 milhões de gatos a viver entre nós. Apesar de domesticados, os gatos partilham todas as características dos felinos selvagens dos quais são parentes: são fortes, ágeis, dotados de grandes reflexos, sentidos apurados e instinto de caça, além de possuírem a personalidade vincada e individualista que lhes é caraterística.







 São brincalhões, muito independentes, curiosos e conseguem ser teimosos, mas são também extremamente amigáveis e afetivos: um dos gestos mais carinhosos dos gatos é a famosa “turrinha”, que dão entre si e aos seus donos. Outro sinal de afeição é o não menos famoso ronronar.




 Quando pensamos em gatos, uma das primeiras imagens que nos ocorre são aqueles olhinhos lindos que eles têm, que nos deixam totalmente derretidos ao olhar para eles. Os olhos dos gatos são muito especiais. Através deles pode-se descobrir, por exemplo, se o nosso amiguinho está ou não doentinho.





 Porque brilham os olhos dos gatos?
 Quem já não se deparou com os seus gatos durante a noite e viu que os seus olhos parecem brilhar intensamente? Pois bem, na realidade os olhos dos gatinhos não brilham durante a noite, o que realmente acontece é que os olhos contêm uma camada de células no fundo do olho, chamada Tapetum lucidum (tapete brilhante), que reflete toda a luz recebida, parecendo assim que os olhos brilham. O Tapetum lucidum, também presente em cães e outros animais geralmente com hábitos de caça noturnos, funciona tal como um espelho, refletindo a luz que chega até ele.

                                                                                                                                 Rafael




Animais terrestres em vias de extinção
                                  O Panda


O panda é um dos animais terrestres em vias de extinção.
As pessoas resgataram alguns pandas machos e fêmeas,
para serem levados para o zoológico, onde são
alimentados varias vezes para terem crias,
acabando a procriação são levados para a selva,
ficando com as crias, para crescerem e começarem um novo
Desenvolvimento.
As crias dos pandas são bonitos e inofensivos,
 mas não têm medo de andar pela floresta, mas
o problema é que eles têm medo de qualquer
predador que vejam.
Devido a isso as mães das crias, não as deixam sair do pé delas.


Os pandas utilizam a grande camada de pelo,
 para se protegerem do frio que enfrentam,
durante o inverno,
utilizam as garras das patas para andarem na neve.


Pedro Tomásio 
                             













Atletismo

TREINO
É preciso treinar quase todos os dias para ter bons resultados no atletismo. De seguida apresenta-se um quadro do tipo de treino semanal durante 4 semanas.
Sem
Seg
Ter
Quar
Quin
Sex
Sab
Dom
1
5' de corrida
+ 1' de
marcha (2x)
Descanso
5' de corrida
+ 1' de
marcha (2x)
Descanso
10' de Corrida
Descanso
15' de corrida (praia ou mata)
2
Descanso
15' de corrida
Descanso
8' de corrida
+ 2' de
marcha (2x)
Descanso
5' de corrida
+ 1' de
marcha (2x)
Descanso
3
20' de corrida
Descanso
5' de corrida + 5' de marcha (2x)
Descanso
5' de marcha em subida + 5' de corrida
Descanso
15' de corrida (praia ou mata)
4
Descanso
5' de corrida + 2' de marcha (2x)
Descanso
15' de corrida
Descanso
10' de corrida + 1' de marcha (2x)
Descanso

PULSAÇÃO
Através da observação e controlo da pulsação cardíaca é possível determinar a velocidade a que uma pessoa deve correr. Os batimentos do coração podem variar entre as 40 e 90 pulsações por minuto, em repouso até ao máximo que é definido nos 220 batimentos por minuto, subtraindo a idade do atleta.

AVALIAR AS PULSAÇÕES…
Um dos locais mais indicados do nosso corpo para "apanharmos" o pulso situa-se ao nível da artéria carótida, situada, na parte lateral do pescoço, próxima da chamada "Maçã-de-Adão". O desportista deve colocar os dedos, polegar e indicador em cada lado do pescoço, o que lhe permitira um rápido sentir dos batimentos cardíacos. Após estar familiarizado com essa operação, contará tais batimentos durante 15 segundos. Multiplicado o resultado por 4 (15X4=60 segundos), obterá o total de pulsações que regista por minuto.
Evidentemente que nos dias de hoje, com os avanços tecnológicos que nos surgem, já existem aparelhos com as dimensões das de um relógio, capazes de, instantaneamente, transmitirem-nos informações exactas sobre as pulsações em cada momento, o que não deixa de ser bastante vantajoso. Tais aparelhos são denominados de pulsímetros ou “Monitores de Frequência Cardíaca”.

AS TRÊS FASES DE UMA SESSÃO DE TREINO
Durante a sua preparação, os corredores observam, regra geral, três fases:
Aquecimento
Fazer sempre um ligeiro aquecimento, antes do treino a efectuar
Corrida propriamente dita
Correr sempre devagar, com calma, controlando a respiração e de forma descontraída
No fim do treino fazer sempre o chamado " retorno à calma
A primeira fase, consiste na preparação dos músculos para o esforço e, particularmente, o coração. Exercícios de relaxação e flexibilidade também poderão ser efectuados.
A marcha (andar a pé) deverá estar sempre presente neste período para possibilitar um melhor afluxo de sangue, limitando, portanto, o risco de lesões musculares.
Quanto à terceira fase, a do retorno à calma, procurar-se-á exactamente um resultado inverso: durante 5 a 10 minutos, no final de cada treino, deve-se alternar corrida e marcha, de forma a libertar parte das toxinas metabólicas acumuladas durante o próprio treino.
A redução da transpiração indica que as funções do organismo voltaram ao estado normal e essa será a altura para introduzir alguns exercícios de ligeira flexibilidade.

ALIMENTAÇÃO
A alimentação é muito importante para o atleta pois o organismo despende muita energia durante o treino, sendo necessário uma alimentação saudável para recuperar do esforço e obter os nutrientes a partir dos alimentos ingeridos. Evitar tomar refeições minutos antes de fazer desporto caso contrário pode provocar má disposição.
Deve-se também beber água durante e após o treino devido à transpiração libertada na actividade física, sendo que a mesma não deve ser ingerida em grandes quantidades de seguida.

DESCANSO NOCTURNO
O descanso no arco nocturno é fundamental para a recuperação física do atleta pelo que no final do dia de treino o desportista deve contemplar algumas horas de sono. O intuito será os músculos recuperarem durante o período de dormida.

Rita Junceiro


D. AFONSO HENRIQUES

Afonso I de Portugal, mais conhecido por D. Afonso Henriques (Coimbra 6 de Dezembro de 1185) foi o fundador do Reino de Portugal e o seu primeiro rei, com o cognome O Conquistador, O Fundador ou O Grande pela fundação do reino e pelas muitas conquistas. Era filho de D. Henrique de Borgonha e de D. Teresa de Leão, condes de Portugal. Após a morte de seu pai em 1112, Afonso tomou uma posição política oposta à da mãe, que se aliara ao nobre galego Fernão Peres de Trava. Pretendendo assegurar o domínio do condado armou-se cavaleiro e após vencer a sua mãe na batalha de São Mamede em 1128, assumiu o governo. Em 1140, depois da vitória na batalha de Ourique contra um contingente mouro, D. Afonso Henriques proclamou-se rei de Portugal com o apoio das suas tropas. Ao contrário do que dizem sobre o Tratado de Zamora só tornou o Condado Portucalense independente do Reino de Leão. A independência portuguesa foi reconhecida, em 1179, pelo papa Alexandre III, através da bula Manifestis Probatum e ganhou o título de rei. Com o apoio de cruzados do norte da Europa conquistou Lisboa em 1147. Com a pacificação interna, prosseguiu as conquistas aos mouros, empurrando as fronteiras para sul, desde Leiria ao Alentejo, mais que duplicando o território que herdara.
A data e local do seu nascimento não estão determinados de forma inequívoca. Hoje em dia, a data que reúne maior consenso aponta para o verão de 1109. Almeida Fernandes, autor da hipótese que indica Viseu como local de nascimento de D. Afonso Henriques refere a probabilidade de ter nascido em Agosto enquanto outros autores, baseando-se em documentos que remontam ao século XIII referem a data de 25 de Julho do mesmo ano. No entanto, já foram defendidas outras datas e locais para o nascimento do primeiro rei de Portugal, como o ano de 1106 ou de 1111 (hipótese avançada por Alexandre Herculano).
Salvador Santos





TAEKWONDO

Toda a minha Família faz TAEKWONDO, eu Leonardo, meu Pai, minha Mãe e minha irmã. No último distrital ganhei a minha primeira medalha de Prata em pares com a minha irmã, técnica (Ponses, vários movimentos). Pratico está arte marcial no clube desportivo do Alto do Moinho, escola do Mestre Abílio Costa.

Taekwondo (em coreano: 태권도; AFI: [tʰɛk͈wʌndo]) , também escrito tae kwon do[1] , taekwon-do ou TKD, pronuncia: Tae quondo, é uma arte marcial que originou um desporto de combate. Hoje em dia, é um desporto difundido em todos os continentes. Nos Jogos Olímpicos de Verão de 1988, teve seu "batismo de fogo", quando foi um desporto de exibição, continuando com este status nos Jogos Olímpicos de Verão de 1992. Em 1993, o desporto foi adicionado ao programa olímpico oficial, integrando o programa a partir dos Jogos Olímpicos de 2000.[2]

Leonardo


Cristo Rei

O Santuário Nacional de Cristo Rei, conhecido simplesmente como Cristo Rei, é um dos monumentos religiosos mais conhecidos de Portugal.
                Fica na margem Sul do rio Tejo, no local do Pragal, junto à Ponte 25 de Abril, na freguesia de Almada pertencente do concelho com o mesmo nome, em Portugal.
                Está situado a 113 metros acima do nível do rio Tejo e é constituído por duas partes distintas.
                A parte inferior é um pórtico com 75 metros de altura e foi projetada pelo Arquiteto António Lino.
                Em cima do pórtico podemos encontrar a estátua do Cristo Rei com 28 metros de altura da autoria do escultor Francisco Franco de Sousa.
                O Santuário Nacional de Cristo Rei foi inspirado na estátua do Cristo Redentor que existe no Rio de Janeiro, no Brasil. Em 1934,o cardeal patriarca de Lisboa na época, D. Manuel Gonçalves Cerejeira, visitou o Rio de Janeiro e pensou de imediato na possibilidade de construir um monumento semelhante em Lisboa.
                Em 1936 a ideia foi apresentada ao Apostolado de Oração, ou seja, todos os Bispos
Portugueses tinham de aprovar esta situação para que se pudesse construir o Cristo Rei.
                A primeira pedra foi lançada no dia 18 de Dezembro de 1949.
                Dois anos depois iniciaram-se os trabalhos das fundações e em 1952 é começada a construção dos alicerces.
                Foram utilizadas 40 mil toneladas de betão.
                A inauguração teve lugar no dia 17 de Maio de 1959.
                Estiveram presentes cerca de 300 mil pessoas.
                O Cardeal Cerejeira afirmou que o monumento representava a Paz.








O Natal

Natal ou Dia de Natal é um feriado e festival religioso cristão comemorado anualmente em 25 de Dezembro ( nos países eslavos e ortodoxos cujos calendários eram baseados no calendário Juliano ,o Natal é comemorado no dia 6 de Janeiro ) .A data é o certo das festas de fim de ano e da temporada de férias , sendo , no cristianismo , o marco inicial do Ciclo do Natal ,que dura doze dias .
Originalmente destinada a celebrar o nascimento anual do Deus Sol no sol solistício ( Natalis invicti Soliz ) a festividade foi ressignificada pela Igreja católica .   

Catarina Almeida









Sem comentários:

Enviar um comentário